Com nova fórmula e subgrupos de cotas, Copa do Nordeste de 2019 terá 26,4 milhões em premiações

A Copa do Nordeste de 2019 irá distribuir 4 milhões de reais a mais em relação a edição de 2018, num aumento de 17,8%. Em termos práticos, comparando com o último aumento, o percentual foi menor e o dado bruto foi maior. Em ambos os casos, diferenças pequenas. Ou seja, o regional manteve a curva de aumento bruto – confirmada até 2022 -, mas a grande mudança está na divisão interna desta receita oriunda da televisão, via Esporte Interativo, o canal detentor dos direitos.

Em Salvador, numa reunião com os clubes já garantidos – ao todo, são 9 através dos títulos estaduais e 11 pelo Ranking da CBF, num formato que passa a vigorar a gora -, a liga optou fortalecer a cota na fase de grupos. Foi a alternativa encontrada para tentar esvaziar a articulação de um torneio paralelo, que teria as principais forças da região (no máximo 10 clubes) e transmissão de outra emissora – a Globo, que poderia bancar até R$ 50 milhões, segundo fontes.

A evolução da cota total da Lampions
De 2018 para 2019: 17,8% (+ R$ 4.000.000)
De 2017 para 2018: 20,9% (+ R$ 3.880.000)
De 2016 para 2017: 24,9% (+ R$ 3.700.000)
De 2015 para 2016: 33,0% (+ R$ 3.680.000)
De 2014 para 2015: 11,4% (+ R$ 1.140.000)
De 2013 para 2014: 78,5% (+ R$ 4.400.000)

Assim como na edição de 2018, em 2019 também são quatro ‘subgrupos’ de cotistas, posicionados segundo o Ranking Nacional de Clubes – a versão apresentada pela CBF em dezembro de 2017. Neste caso, o Santa Cruz, que obteve a sua vaga pelo ranking, figura na casta mais alta, com R$ 480 mil a mais que o Náutico, classificado como campeão pernambucano (divisão abaixo). O interessante é que se a cota inicial do Santa passa de 1,0 milhão em 2018 para 1,9 milhão em 2019, a diferença em caso de título é ínfima, de 75 mil reais.

E a diferença não é só financeira, mas também na fórmula de disputa, que segue com uma fase seletiva, com o mata-mata envolvendo oito clubes, passando quatro à fase principal, já com doze pré-classificados. No entanto, a fase de grupos, com 16 participantes, agora deve ficar restrita a dois grupos com oito equipes, com os times da chave A enfrentando os da chave B – como informa Vitor Villar, do jornal baiano Correio*. Ou seja, oito rodadas, em vez de seis, como vinha sendo desde 2013. Depois, quartas, semi e final. O martelo sobre esta fórmula – que seria de transição – só deve ser batido em 3 de maio, na próxima reunião da Liga do Nordeste, no Recife.

Por fim, vale o registro de que o Sport acaba fora (e isolado) mais uma vez. A saída em 2018, com o presidente leonino, Arnaldo Barros, insatisfeito pelas cotas distribuídas pelo torneio, se repetiu oficialmente em 2019, quando a movimentação de dissidência chegou a ganha força nos bastidores. Mas, ao que parece, acabou contornada – embora a cota do regional siga abaixo da expectativa dos principais clubes. Apenas com a participação na fase de grupos nos dois torneios, o rubro-negro deixou de ganhar R$ 2,9 milhões – e o clube sempre avançou.

Abaixo, as premiações de cada fase da Lampions League 2019.

Pré Nordestão (seletiva) – R$ 100 mil; CRB (36º), Sampaio Corrêa (39º), América-RN (43º), Salgueiro (51º), Confiança (54º), Campinense (70º) e Juazeirense (82º). No Piauí, com o estadual andamento, River (60º) ou Parnahyba (92º)

Fase de grupos. Divisão pela colocação regional no Ranking da CBF (entre parênteses, a nacional)
Subgrupo 1 – R$ 1,90 milhão; 1º do NE, Vitória (18º), 2º Bahia (21º), 3º Santa (25º), 4º Ceará (27º)
Subgrupo 2 – R$ 1,42 milhão; 5º ABC (31º), 6º Náutico (32º), 7º lugar, 8º lugar
Subgrupo 3 – R$ 1,22 milhão; 9º lugar, 10º lugar, 11º lugar, 12º lugar
Subgrupo 4 – R$ 510 mil; 13º lugar, 14º lugar, 15º lugar, 16º lugar

Pré-classificados à fase de grupos: Fortaleza (42º), Botafogo-PB (45º), CSA (59º), Moto Club (66º), o campeão de SE e o campeão do PI. Os respectivos subgrupos só serão estabelecidos após a definição dos quatro classificados na seletiva, comparando o ranking de todos esses dez times

Mata-mata
Quartas de final – R$ 300 mill
Semifinal – R$ 375 mil
Vice – R$ 500 mil
Campeão – R$ 1 milhão

Eis as cotas absolutas (somando as fases) para as campanhas finais no Nordestão:

2019*
Campeão – R$ 3,575 milhões (+2% em relação a 2018)
Vice – R$ 3,075 milhões (+18%)
Semifinalista – R$ 2,575 milhões (+28%)
Quartas de final – R$ 2,2 milhões (+51%)
Fase de grupos – R$ 1,9 milhão (+90%)
* Soma dos valores para o subgrupo 1

2018*
Campeão – R$ 3,5 milhões (+22% em relação a 2017)
Vice – R$ 2,6 milhões (+20%)
Semifinalista – R$ 2 milhões (+25%)
Quartas de final – R$ 1,45 milhão (+38%)
Fase de grupos – R$ 1 milhão (+66%)
* Soma dos valores para o subgrupo 1

2017
Campeão – R$ 2,85 milhões (Bahia)
Vice – R$ 2,15 milhões (Sport)
Semifinalista – R$ 1,6 milhão (Santa Cruz e Vitória)
Quartas de final (1) – R$ 1,05 milhão (Campinense, Itabaiana e Sergipe)
Quartas de final (2) – R$ 780 mil (River)
Fase de grupos (PE, BA, CE, RN, AL, PB e SE) – R$ 600 mil
Fase de grupos (MA e PI) – R$ 330 mil
Total – R$ 18.520.000

2016
Campeão – R$ 2,385 milhões (Santa Cruz)
Vice – R$ 1,885 milhão (Campinense)
Semifinalista – R$ 1,385 milhão (Bahia e Sport)
Quartas de final – R$ 935 mil (Ceará, Salgueiro, CRB e Fortaleza)
Fase de grupos – R$ 505 mil*
Total: R$ 14.820.000
* Exceto para os clubes do Piauí e do Maranhão

2015
Campeão – R$ 2,74 milhões** (Ceará)
Vice – R$ 1,24 milhão (Bahia)
Semifinalista – R$ 890 mil (Vitória e Sport)
Quartas de final – R$ 615 mil (Fortaleza, América-RN, Salgueiro e Campinense)
Fase de grupos – R$ 365 mil*
Total: R$ 11.140.000
* Exceto para os clubes do Piauí e do Maranhão
** Com bônus de R$ 500 mil, pago pela CBF

2014
Campeão – R$ 1,9 milhão (Sport)
Vice – R$ 1,2 milhão (Ceará)
Semifinalista – R$ 850 mil (América-RN e Santa Cruz)
Quartas de final – R$ 600 mil (CSA, CRB, Vitória e Guarany-CE)
Fase de grupos – R$ 350 mil
Total: R$ 10.000.000

2013
Campeão – R$ 1,1 milhão (Campinense)
Participação – R$ 300 mil
Total: R$ 5.600.000